CAMPEONATO BRASILEIRO

Atlético vacila na defesa, perde para o Botafogo e se distancia do G6 no Brasileiro

Com um a menos desde a metade do primeiro tempo, Galo é inofensivo no Nilton Santos e chega a três partidas sem vitória na temporada
Foto do autor
Compartilhe

O Atlético cometeu muitos erros defensivos e perdeu por 3 a 0 para o Botafogo neste domingo (7/7), pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com um a menos por mais de 70 minutos, o time mineiro não conseguiu segurar o ímpeto dos mandantes e sofreu três belos gols de fora da área no Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

O Galo já fazia uma atuação bem pobre e perdia por 1 a 0 quando Igor Rabello fez falta em Luiz Henrique e foi expulso aos 24 minutos do primeiro tempo. O time mineiro até apresentou uma leve melhora na segunda etapa, mas além de não criar quase nada no ataque, ainda pecou na defesa novamente, com muitos espaços em frente à grande área.

Com a derrota, o Atlético perde uma posição e cai para o 12º lugar, com 18 pontos, a sete de distância do G6. Esse foi o terceiro jogo sem vitória da equipe.

Já o Botafogo se manteve como segundo colocado, com 30 pontos, e emplacou o quarto jogo invicto na temporada.

Próximos jogos de Botafogo e Atlético

Botafogo e Atlético voltam a campo na quinta-feira, às 21h30, pela 16ª rodada do Brasileiro. Os cariocas enfrentarão o Vitória no Barradão, em Salvador-BA, enquanto os mineiros recebem o São Paulo na Arena MRV, em Belo Horizonte.

Botafogo x Atlético: o jogo

A principal novidade em relação aos esquemas táticos das equipes foi a presença do meia Gustavo Scarpa na direita do Atlético, ao contrário do que vinha ocorrendo nos últimos jogos. Assim como Cadu, do lado esquerdo, ele ficava responsável por fechar uma linha de cinco defensiva sem a bola.

Um duelo tático e com muita pressão no portador da bola: assim foram os primeiros minutos da partida. Ainda assim, quem ditava o ritmo eram os donos da casa.

E não demorou para o Botafogo abrir o placar. Aos 12’, Luiz Henrique recebeu com liberdade na entrada da área e finalizou bonito, sem chances para Matheus Mendes: 1 a 0.

Mesmo após o gol, o Glorioso seguiu no comando da partida. Seja criando desde trás ou partindo em velocidade, a equipe comandada por Artur Jorge chegava facilmente ao ataque.

Se a atuação do Atlético já não era das melhores, a situação ficou ainda mais complicada aos 24’. Luiz Henrique recebeu em profundidade, e Rabello cometeu falta. Como era o último homem da zaga, o árbitro Rafael Rodrigo Klein não teve dúvidas em expulsá-lo. Sem zagueiros à disposição no banco, Milito foi obrigado a colocar Otávio na linha defensiva.

Apesar de ter um a menos, o time mineiro não abriu mão de tentar atacar. O problema é que mal conseguia chegar ao último terço do campo porque sofria com a pouca criatividade no meio. Prova disso é que teve apenas uma finalização no primeiro tempo.

O alvinegro carioca, por sua vez, reduziu um pouco o ritmo, mas seguiu marcando pressão e no controle da partida.

Botafogo foi superior ao Atlético ao longo da partida | Foto: Pedro Souza/Atlético

Na volta do intervalo, as equipes não promoveram mudanças, mas o cenário teve leve mudanças. O Atlético tentava atrair o Botafogo por meio da saída de bola curta, mas tinha muitas dificuldades. 

O Galo até chegou algumas vezes ao ataque, demonstrando uma melhora na partida em relação ao primeiro tempo. Em um desses lances, a equipe pediu pênalti em lance envolvendo Damián Suárez e Cadu, mas o árbitro e o VAR entenderam que não houve falta. Ainda assim, quem oferecia mais perigo ao adversário era o Glorioso, principalmente nos contra-ataques.

Com o jogo equilibrado, Milito deixou o Atlético mais ofensivo ao promover a entrada do atacante Eduardo Vargas no lugar do volante Paulo Vitor. No minuto seguinte, Hulk acertou o travessão em cobrança de falta.

Apesar da melhora, os visitantes voltaram a vacilar na defesa e sofreram o segundo gol aos 34’. Após a defesa afastar mal, Cuiabano acertou lindo chute da entrada da área e ampliou: 2 a 0.

A partir disso, o time do Atlético cansou e praticamente se entregou ao resultado. O Botafogo, já nos acréscimos, aproveitou mais uma falha de marcação e marcou mais um bonito gol com Savarino: 3 a 0.

Botafogo 3 x 0 Atlético

Botafogo
Jhon; Damián Suárez, Bastos, Alexander Barboza e Cuiabano; Danilo Barbosa (Tchê Tchê, aos 11’ do 1ºT), Marlon Freitas (Gregore, aos 25’ do 2ºT) e Eduardo (Savarino, aos 25’ do 2ºT); Luiz Henrique (Óscar Romero, aos 37’ do 2ºT), Júnior Santos e Tiquinho Soares (Kauê, aos 37’ do 2ºT)
Técnico: Artur Jorge

Atlético
Matheus Mendes; Igor Rabello, Battaglia e Bruno Fuchs; Otávio, Alan Franco, Paulo Vitor (Eduardo Vargas, aos 26’ do 2ºT), Cadu (Palacios, aos 26’ do 2ºT) e Gustavo Scarpa; Paulinho (Vitinho, aos 45′ do 2ºT) e Hulk.
Técnico: Gabriel Milito

  • Gols: Luiz Henrique, aos 12’ do 1ºT, Cuiabano, aos 34’ do 2ºT e Savarino, aos 49′ do 2ºT
  • Cartões amarelos: Bastos e Tiquinho Soares; Palacios
  • Cartão vermelho: Igor Rabello, aos 23’ do 1ºT
  • Motivo: 15ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro
  • Data: 7/7/2024 (domingo)
  • Estádio: Nilton Santos, no Rio de Janeiro
  • Árbitro: Rafael Rodrigo Klein (FIFA-RS)
  • Assistentes: Rafael da Silva Alves (FIFA-RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)
  • VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (VAR-FIFA)
Compartilhe